Menu

Terapia Cognitivo Comportamental (TCC)

O que é Terapia Cognitivo-Comportamental?

A terapia cognitivo-comportamental, conhecida popularmente por sua sigla TCC, postula que os sujeitos podem apresentar sofrimento psíquico devido a sua forma de interpretar, de forma distorcida, as situações cotidianas, consideradas, a priori, como eventos neutros. Tem como um de seus fundadores o Aaron Beck. As próximas perguntas irão esclarecer alguns pontos que você possa ter como possíveis dúvidas em relação a esta abordagem psicoterapêutica.

Interpretação: o que isso significa?

A figura ao lado ilustra este princípio. Tomemos como exemplo uma situação neutra (ir ao shopping sozinho(a) fazer compras).

Ao entrar neste estabelecimento, imediatamente sua mente é invadida pelo pensamento: “Algo de ruim certamente irá acontecer comigo”. Desta forma, será acionado um estado emocional diretamente ligado a este pensamento: ansiedade ou medo, por exemplo. Por fim, diante deste pensamento e emoções, o sujeito realizará algum tipo de comportamento (sair do shopping, buscar um local “seguro” para ficar, etc). 


Esta é uma forma bastante simples de ilustrar como uma situação neutra gera pensamentos, emoções e comportamentos. Porém, neste caso, de forma negativa.

Mas por qual motivo é importante saber isso?

Na maior parte das vezes não estamos conscientes dos nossos pensamentos ou, se estamos, podemos estar aceitando-os como verdades absolutas a nosso respeito. Este primeiro pensamento, que é acionado de forma espontânea, é chamado de “pensamento automático”. Aprofundando nosso esquema mental, há outros níveis mais profundos: “crenças intermediárias” e “crenças centrais”. É possível ilustrar este esquema através da figura ao lado.

A psicoterapia irá auxiliar o paciente a mapear o seu modo de funcionamento, a nível cognitivo, emocional e comportamental e, desta forma, criar estratégias que visem uma melhoria significativa na sua qualidade de vida. 

Então este processo terapêutico se resume a buscar “o pensamento positivo”?

Esta é uma pergunta bastante comum. A resposta é “não”. A TCC não busca que o paciente modifique seus pensamentos por outros “positivos”. O alvo que o terapeuta possui, junto com o seu paciente, é encontrar outras formas de interpretação, e que esta reestruturação cognitiva seja, antes de qualquer outra coisa, vinculada à realidade.

Pensar de forma mais realista, livre de distorções cognitivas, através de testes de evidências e questionamentos irá enfraquecer o antigo pensamento. É desta forma que o paciente conseguirá, no começo do tratamento, se sentir mais esperançoso. Em suma, a TCC não é um livro de receitas com uma lista de “novos pensamentos a serem sugeridos ao paciente”.

E como funciona a terapia?

A TCC caracteriza-se como uma abordagem breve e estruturada, que tem por objetivo a intervenção em pensamentos distorcidos, comportamentos desadaptativos e emoções negativas. Nesta resposta, é possível cair em outra armadilha. Um terapeuta nunca poderá prometer ao seu paciente a “cura” ou o número de sessões que o tratamento irá necessitar. A TCC comumente dura alguns meses, porém, pode ser necessário mais tempo. A resposta para isso dependerá de diversas variáveis: interesse do paciente, assiduidade, habilidade do psicoterapeuta, quantidade de metas que a terapia tiver, dentre outros.

A terapia apresenta, como um de seus alicerces, a colaboração ativa entre terapeuta e paciente (empirismo colaborativo). O trabalho é feito como uma equipe, que buscará as melhores estratégias na resolução dos problemas. Será levado em consideração emoções, reações fisiológicas, pensamentos e comportamentos e como eles estão diretamente ligados e interferem significativamente na forma como o sujeito constrói e avalia suas experiências no mundo.

Isto significa que a TCC é a melhor abordagem psicoterapêutica?

Em hipótese alguma. Na Psicologia não existe melhor ou pior abordagem psicoterapêutica. O que existem são possibilidades distintas de auxiliar o paciente a obter o mesmo resultado: melhor qualidade de vida. Cada abordagem possui suas estratégias e métodos a serem desenvolvidas, assim como distintas fundamentações teóricas.